Precariedade no transporte coletivo, desde 2015, Vicasa foi multada 838 vezes pela Metroplan. Leia mais…

Precariedade no transporte coletivo, desde 2015, Vicasa foi multada 838 vezes pela Metroplan. Leia mais…

NÚMERO REFERE-SE ATÉ MAIO DE 2019. EMPRESA QUE FAZ O TRANSPORTE ENTRE A CAPITAL E CANOAS É A RECORDISTA DE INFRAÇÕES.

 

 

 

Entre as 34 empresas que operam o transporte coletivo na Região Metropolitana, a Vicasa– que faz a conexão entre Porto Alegre e Canoas– foi a campeã de multas por problemas de operação. Dados obtidos via Lei de Acesso à Informação (LAI) pela reportagem mostram que a empresa foi penalizada pela Metroplan838 vezes de 2015 a maio de 2019.

A reportagem solicitou os dados após o órgão divulgar, em junho, que mais da metade das multas aplicadas a empresas de transporte metropolitano no segundo semestre de 2018 foi para a Vicasa.

Apenas em 2018, foram aplicadas 336 multas, e até maio deste ano, já foram efetivadas 55. Os números dizem respeito às infrações fixadas após as duas instâncias de recursos. O valor de cada multa varia de R$ 184, para casos de lâmpada da sinaleira do pisca alerta quebrada, a R$ 2.217, quando o veículo é pego sem laudo de vistoria ou com documentos vencidos.

Desde 2015, as multas aplicadas à Vicasa atingiram o valor total de R$ 586 mil. O pagamento desse valor é feito de duas formas: por boleto bancário ou no desconto de repasse de recursos do Passe Livre, que a Metroplan deixará de repassar à empresa.

Qualificação

 

O valor arrecadado em multa vai para uma conta da Metroplan que é gerenciada pelo Tesouro do Estado. A quantia deve ser investida em melhorias do sistema de transporte e usada, por exemplo, na pavimentação de ruas, em estudos técnicos, reforço na fiscalização e melhorias nos terminais.

Segundo o superintendente da Metroplan, Rodrigo Schnitzer, as multas são feitas a partir de denúncias de usuários pelo número 0800 5104774. Neste caso, uma equipe é deslocada para verificar a reclamação e pode efetivar ou não a penalidade. As punições também podem ter origem nas fiscalizações e em vistorias periódicas.

Apenas pelo 0800, a Metroplan registrou 170 reclamações do serviço prestado pela Vicasa em 2017 e 395 em 2018. Por ano, a empresa transporta 4,3 milhões de passageiros.

– Se formos comparar o número de reclamações com o contingente de passageiros, pode parecer pequeno. Mas, ao comparar o número de reclamações entre as empresas, as da Vicasa se sobrepõem – considera Rodrigo.

Se formos comparar o número de reclamações com o contingente de passageiros, pode parecer pequeno. Mas, ao comparar o número de reclamações entre as empresas, as da Vicasa se sobrepõem,

RODRIGO SCHNITZER

Superintendente da Metroplan

Entre as 34 empresas que atendem a Região Metropolitana, a que tem a maior quantidade de linhas é a Soul, que faz a conexão entre Alvorada e outras cidades.

Rodrigo afirma que a Metroplan, junto com o Ministério Público, tem atuado em um trabalho específico com a Vicasa, devido ao alto número de reclamações. O superintendente ressalta que é responsabilidade do órgão buscar a qualidade do serviço:

– De maio para cá, estamos buscando alternativas, juntos, para aumentar a qualidade e pressionar a empresa para que promova ajustes que qualifiquem o serviço.

 

Na semana passada, a reportagem procurou a Vicasa, por e-mail e telefone, mas a empresa não retornou as tentativas de contato. 

Solução passa por licitação

 

Na avaliação do dirigente, o alto número de penalidades aplicada à empresa também pode estar relacionada ao fato de Canoas ser a segunda maior cidade da Região Metropolitana, o que a faz transportar um contingente populacional significativo, e a questões econômicas de queda na demanda de passageiros. Para ele, apenas a licitação do serviço poderá trazer mudanças profundas para este tipo de problema.

Em junho, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) determinou que o Estado encaminhe a licitação do transporte metropolitano e que não renove ou prorrogue os contratos vigentes com as empresas Vicasa e Transcal – esta faz a conexão entre entre Cachoeirinha, onde está sediada, e as cidades de Porto Alegre, Gravataí, Canoas e Alvorada

Com a decisão, deverá ser realizado procedimento licitatório para escolha de empresas dos serviços públicos de todos os contratos, linhas e itinerários operadas pela Vicasa e da Transcal, no prazo máximo de 120 dias após o trânsito em julgado da decisão – ou seja, após o esgotamento de todos os recursos.

De acordo com Rodrigo, nesse momento, a Metroplan está fazendo um estudo técnico que vai mapear o contingente de passageiros e a necessidade de linhas em cada região. É este levantamento que vai basear o edital da licitação, que deve ser aberta no ano que vem.

Entre os usuários, insatisfação

 

O alto número de multas aplicadas à Vicasa se reflete principalmente na insatisfação do usuário das linhas. A costureira Sandra Mattos, 55 anos, que mora no Bairro Rio Branco, em Canoas, reclama da inconfiabilidade nos horários de ônibus. Nunca sabe se pode contar mesmo com o serviço.

– Para o meu bairro, há muito espaço entre os horários. Às vezes, duas horas. E quando o ônibus não vem, é pior. A gente fica na mão. No final de semana, não tem ônibus. Sábado de manhã tem só dois horários. Se a gente quer sair, tem de caminhar até o trem, porque não há outra opção – desabafa.

A técnica em química Aline Graboski Bach, 26 anos, mora em Guaíba e trabalha no Bairro Niterói, em Canoas. Ela não reclama dos horários, nem da falta de ônibus, mas da estrutura dos veículos:

– Pego o ônibus às 10h20min e é sempre pontual, o motorista é gentil, mas a qualidade do veículo é muito ruim. Tem bancos caídos, goteira em dia das de chuva e, às vezes, o veículo está sujo. A vedação dos vidros também é ruim, entra muito frio.

 

 

 

 

Fonte:Diário Gaúcho.

Posts Carousel

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Últimas Noticias

Top Authors

Comentados

Outros Videos