Escola é invadida e furtada cinco vezes em 15 dias. Saiba mais…

Escola é invadida e furtada cinco vezes em 15 dias. Saiba mais…

Ladrões levaram torneiras, notebooks, livros e até parte da fiação elétrica da instituição do bairro Santo Afonso

 

 

 

A expectativa de cerca de 500 alunos pelo retorno às aulas após as férias de inverno foi cortada pela frustração na Escola Municipal Harry Roth, no bairro Santo Afonso, em Novo Hamburgo. Mais uma vez, ao chegar na escola, as crianças souberam que a instituição havia sido arrombada. Foi a quinta ação criminosa em um período de 15 dias.

Desta vez, os ladrões que entraram durante a madrugada levaram uma panela de pressão de 20 litros, usada para cozinhar o feijão dos estudantes diariamente. Por isso, a principal pergunta entre as crianças na segunda-feira (5) era: “Vai ter almoço?”.

— Teve almoço, sim. É uma refeição extremamente importante para eles. Demos um jeito, deixamos o feijão mais tempo no molho, conseguimos panelas pequenas e servimos, mesmo com atraso — conta a diretora, Carla Algayer.

Nas outras situações, foram levadas torneiras de um bebedouro, que haviam sido pintadas de vermelho, dois notebooks, livros, jogos e até fios que ligavam a energia elétrica da escola até a parte da rua. Para entrar, os criminosos usaram diferentes métodos: serraram cadeados e grades, pularam muro e até quebraram telhas.

A escola chegou a gastar R$ 600 em fechaduras, cadeados e correntes novas. Até as torneiras, antes de alumínio, foram trocadas por modelos de plástico. A diretora reclama que o investimento que era para ser na melhoria da oferta de ensino aos estudantes acaba sendo feito em itens que já foram comprados anteriormente, mas levados pelos bandidos.

— Não saímos do lugar. Estamos tendo que gastar o dinheiro que era de investimento em manutenção. É um momento de muita dor, de instabilidade — lamenta Carla.

Com os ataques recentes, as atividades do turno inverso foram suspensas na segunda e também não ocorrerão nesta terça-feira (6). Os estudantes lamentam por ficarem sem as atividades lúdicas, que são a parte mais divertida da escola para muitos deles.

Yasmin, 10, e a mãe, Carmen de Fatima Agostini, 54

Yasmin, 10, e a mãe, Carmen de Fatima Agostini, 54Vitor Rosa / Agência RBS

 

 

— Eu achei muito triste isso. A gente espera voltar das férias com uma coisa legal na escola, mas acaba não tendo. Isso atrapalha porque tem muitos projetos aqui. Eu faço aula de dança e estamos sem luz no nosso ginásio — queixa-se Yasmin Mirele Kayser, 10 anos, estudante do 5º ano da escola.

Enquanto GaúchaZH conversava com a direção da escola, a equipe de manutenção contratada chegou para fazer o conserto dos itens danificados no último ataque. A Secretaria Municipal de Educação também acompanhava o serviço.

De acordo com a diretora, a escola tem alarme por sensor de movimento em várias salas, dispositivo que disparou em algumas das ocorrências. No entanto, quando a Guarda Municipal chegou, não encontrou ninguém em nenhuma das oportunidades. A suspeita é de que o crime tenha sido feito por dependentes químicos. Próximo da escola, há duas grandes praças onde, segundo professores, é comum ver pessoas usando drogas.

Uma outra escola próximo da Harry Roth, a estadual Santo Afonso, sofreu cinco arrombamentos em 2019. No último, também foi o telhado o trajeto usado pelos criminosos.

 

O que dizem as autoridades

 

A prefeitura de Novo Hamburgo diz que contratou, por meio de licitação, uma empresa para instalar e ampliar equipamentos de segurança e monitoramento na escola. O número de sensores de presença também deve aumentar. O órgão ainda declara que a escola faz parte do trajeto da Ronda Escolar, que atende as 86 instituições municipais.

O comandante da Brigada Militar de Novo Hamburgo, tenente-coronel Márcio Uberti, entende que, por se tratar de uma escola municipal, “o patrulhamento e rondas são de responsabilidade da Guarda Municipal e não da BM, que se encarrega da mesma função nas escolas estaduais do município”. Conforme o oficial, em uma visita à escola, foram percebidas diversas falhas no sistema de segurança e um relatório está sendo feito para ser entregue à direção.

Escola azul destoa em rua com casas em tons cinzas: instituição foi grafitada para chamar atenção de estudantes

Escola azul destoa em rua com casas em tons cinzas: instituição foi grafitada para chamar atenção de estudantesVitor
Rosa / Agência RBS

Fonte:Gaúchazh.

Posts Carousel

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Últimas Noticias

Top Authors

Comentados

Outros Videos